Uveíte: conheça doença ocular grave facilmente confundida com conjuntivite

Você já ouviu falar da uveíte? Trata-se de uma doença ocular pouco conhecida, mas que pode até levar à perda da visão. “É muito comum que os pacientes confundam os sintomas com conjuntivite”, conta o oftalmologista Bruno Diniz, diretor clínico da Vistta Oftalmologia em Goiânia.


Segundo Diniz, a uveíte é uma doença inflamatória que compromete a úvea, composta pela íris (parte colorida dos olhos), corpo ciliar (músculos que controlam os olhos) e coroide (membrana que abastece a região com sangue). Tem causas diversas, tais como: infecção por vírus, bactérias e fungos; doenças como tuberculose, sífilis e toxoplasmose; leucemias e linfomas; doenças reumatológicas como artrite reumatoide; ou traumas oculares e corpos estranhos.


A uveíte pode atingir um ou ambos os olhos. Dentre os sintomas estão: dor nos olhos, sensibilidade à luz, vermelhidão e, em alguns casos, moscas volantes (manchas escuras que parecem flutuar no campo visual). “A vermelhidão é o principal sintoma comum à uveíte e à conjuntivite. Porém, ao contrário da conjuntivite, a uveíte não é contagiosa”, explica Bruno Diniz.


Tratamento da uveíte


A gravidade varia dependendo da localização da inflamação. Se não for tratada, a uveíte pode desencadear doenças mais graves como glaucoma e catarata. O diagnóstico é feito com avaliação dos reflexos pupilares, fundoscopia, medida da acuidade visual, dentre outros exames que podem ser solicitados pelo oftalmologista.


O tratamento é feito com base na causa da doença. No caso de infecções, pode-se receitar antibióticos ou antivirais. Já em casos de doença autoimune, é possível tratar com corticoides e imunossupressores. Para um diagnóstico preciso e tratamento adequado, é indispensável a consulta com o oftalmologista.

Envie-nos uma mensagem que entraremos em contato em breve.