Cirurgia de catarata reduz declínio cognitivo em idosos, aponta pesquisa

Você sabia que os impactos da cirurgia de catarata vão muito além da melhoria na visão? Pesquisadores da Universidade de Manchester, no Reino Unido, investigaram a relação da cirurgia de catarata com o declínio das funções mentais na terceira idade e descobriram que em 50% dos casos o declínio cognitivo desacelerou após a cirurgia de catarata.  


“Isso significa que a cirurgia de catarata pode impactar indiretamente em fatores como a memória, o raciocínio lógico e a linguagem. O declínio cognitivo acontece naturalmente no ser humano, mas quanto mais lento, melhor será a qualidade de vida no envelhecimento”, ressalta o oftalmologista Bruno Diniz.


O estudo, chamado English Longitudinal Study of Ageing (ELSA), foi feito entre 2002 e 2014 com 2,8 mil idosos que passaram pela cirurgia de catarata. Os dados foram comparados aos de 3,6 mil pessoas sem catarata. 


Também é importante observar os impactos sociais que a cirurgia de catarata pode ter na vida do paciente. Com o implante de lentes intraoculares feito na cirurgia de catarata, é possível voltar a enxergar e até mesmo dispensar o uso de óculos após o procedimento. Dessa forma, a cirurgia também reduz episódios de quedas, acidentes de trânsito e acidentes domésticos.


“A catarata também tem forte impacto na sociabilidade dos idosos. Com a dificuldade para enxergar, é comum que o paciente se retraia e não participe de atividades coletivas”, destaca Bruno Diniz.


Saiba como funciona a cirurgia de catarata


O procedimento dura cerca de 30 minutos e é feito com anestesia por colírios e, para reduzir o desconforto com paciente, pode ser utilizada sedação leve. Durante a cirurgia, a pessoa permanecerá deitada e não sentirá dor.


Não há necessidade de internação e o paciente poderá ir para casa no mesmo dia. O médico poderá receitar colírios e pomadas para afastar riscos de infecção. Recomenda-se não esfregar, coçar, fazer esforço físico ou dormir sobre o olho operado nos dias seguintes ao pós-operatório. Normalmente, a visão retorna ao normal em poucas horas e o paciente poderá retornar a suas atividades normais em poucos dias.


A técnica atual combina laser ou bisturi (para fazer as incisões e ruptura da catarata) com a facoemulsificação, responsável pela remoção da catarata. A incisão é menor que 3mm e é por ela que será inserido o facoemulsificador no globo ocular, preservando a parte posterior que vai servir de apoio à lente que será implantada. O aparelho vai emulsificar e diluir a catarata. Em seguida o cristalino danificado é aspirado. 


Depois, pela mesma incisão é inserida a lente, que entra dobrada ao meio para que não seja necessário um corte maior. Já dentro do olho ela será aberta e apoiada na parte posterior do cristalino. A lente tem uma medida especial para cada pessoa e será responsável por permitir a passagem e convergir a luz na mácula, tornando a visão nítida novamente.

Envie-nos uma mensagem que entraremos em contato em breve.