OMS alerta para epidemia de miopia

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que até 2020 cerca de 35% da população mundial terá miopia. A expectativa é que o número aumente ainda mais, chegando até 52% em 2050.


Hoje, a doença já é considerada uma epidemia e sua causa tem ligação direta com o uso excessivo de aparelhos eletrônicos. A miopia é um erro refrativo do globo ocular que dificulta a visão de longe.


Por causa do erro, a imagem dos objetos é focada à frente da retina, fazendo com que a visão do que está longe pareça borrada. Além de deixar turva a visão de objetos distantes, a miopia aumenta o risco de problemas como descolamento de retina e degeneração macular, que pode levar à cegueira.


Sua causa sempre esteve ligada a fatores genéticos, já que o erro refrativo ocorre quando o olho cresce demais. No Brasil, a maioria da população tem olhos pequenos, mas essa realidade vem mudando.


Causas da epidemia de miopia


Segundo a OMS, as causas da epidemia estão relacionadas ao nosso estilo de vida. A Sociedade Brasileira de Oftalmologia também aponta que a cada dez casos diagnosticados de miopia, apenas um tem causa genética.


Os pesquisadores já identificaram que passar muito tempo em ambientes fechados prejudica a produção da dopamina. Esse hormônio é importante para ajudar no controle do crescimento do olho.


Outro fator que influencia no aumento de casos da doença é a baixa produção de melatonina. Este é outro hormônio, produzido durante o sono, que também influencia na retina.


É interessante notar que, exceto em casos genéticos, é possível evitar a miopia. Especialmente na fase de crescimento, é importante que crianças e adolescentes passem menos tempo em ambiente fechados e que usem menos equipamentos eletrônicos.


Bruno Diniz é diretor clínico da Vistta Oftalmologia, especialista em retina, vítreo e catarata. É Doutor em Ciências pela Universidade Federal de São Paulo.

Envie-nos uma mensagem que entraremos em contato em breve.